É com terna emoção que hoje evoco esta pequena ilha que é, sem dúvida, a mais bela não somente dos Açores mas dos dois arquipélagos portugueses, pelo seu encanto bucólio. É uma terra quase virgem que a civilização mal tocou rasgando algumas estradas... Admiráveis paisagens. A vegetação indígea. A prodogiosa florária de que derivou o seu nome.
A. T'Serstevems


Fotografias


A Ilha das Flores é o ponto mais ocidental da Europa, com uma superfície de 142 Km². Tem por capital a Vila de Santa Cruz. Foi descoberta cerca do ano de 1450, por Diogo de Teive e seu filho João de Teive. Num resumo feito por Las Casas, do relatório de Cristóvão Colombo sobre a viagem do descobrimento da América (Antilhas), foi a experiência dos portugueses adquirida nos Açores, designadamente na zona marítima das Flores, sobre o voo das aves naquela região, que em 7 de Outubro de 1492 serviu a Cristóvão Colombo para convencer a tripulação castelhana, desencorajada e desanimada por não ter encontrado terra, a mudar de rumo e a prosseguir viagem.

Começou a ser povoada no reinado de D. Manuel I, cerca de 1510, com gentes idas de várias regiões do continente, com predominância do Norte do País. Outros ainda ter-se-iam deslocado da Terceira, começada a povoar anteriormente, na tentativa de encontrar melhores possibilidades de sobrevivência.

É, sem dúvida alguma, das ilhas mais belas de todo o Atlântico. Nos meses de Julho e Agosto, toda a ilha fica coberta de extensas sebes de hortênsias de um azul intenso, a dividir os campos ao longo das estradas, nas margens das ribeiras e lagoas, entre rochas e penhascos. Paisagem única, de uma beleza surpreendente, qual tela de um mestre Impressionista.

No extremo Norte da Ilha, fica a vila de Ponta Delgada que se espraia junto ao mar. Quando observada do alto, em dias claros, é cenário extraordinariamente belo, com as suas casas brancas, numa moldura de hortênsias e, como pano de fundo, a Ilha doCorvo. É nesta região que se encontram instaladas as plataformas da «Estação de Medidas» do governo francês, base concedida pelo governo português mediante acordos militares.

A Sul fica a vila das Lajes e a Ocidente as povoações de Lajedo, Mosteiros, Fajãzinha e Fajá Grande, todas elas cheias de sabor de tempos idos, de ruas estreitas e casas no estilo das aldeias do Norte de Portugal. Nas regiões mais altas, lagoas de águas puras em crateras de antigos vulcões completam a beleza da paisagem, sempre colorida por muitas e vanadas flores.

Não foi em vão que Ihe chamaram a Ilha das Flores.